Mortalha Da Lamentação: 11 e Clara combatem assombrações em Dallas

Mortalha da Lamentação
Suma de Letras

Você encontra em versão física ou e-book.

Onde se situa: Logo no começo das aventuras do 11th com a Clara, mas antes do especial de 50 anos.

É o dia seguinte ao assassinato de John F. Kennedy – e o rosto de pessoas mortas começa a aparecer por toda parte. O guarda Reg Cranfield vê o pai na névoa densa ao longo da estrada Totter Lane. A repórter Mae Callon vê a avó em uma mancha de café na mesa de trabalho. O agente especial do FBI Warren Skeet se depara com seu parceiro falecido há muitos anos olhando para ele através das gotas de chuva no vidro da janela.

Então os rostos começam a falar e gritar. São as Mortalhas, que se alimentam da tristeza alheia, atacando a Terra. Será que o Doutor conseguirá superar o próprio luto para salvar a humanidade?

Esse é o resumo na contracapa do livro, que não diz nada pro leitor comum mas diz um monte de coisa pro whovian mais atento:
– o dia seguinte ao assassinato de JFK, 23 de novembro de 1963. Também conhecido como o dia em que Doctor Who estreou;
– Totter’s Lane é onde fica o ferro velho em que a Tardis estava pousada;
– Reg Cranfield é o nome do ator que fez o guarda que aparece na primeira cena da série, patrulhando a Totter’s Lane

Esse livro foi lançado em 8 abril de 2013, nas comemorações dos 50 anos. São três livros, na verdade: Plague Of The Cybermen, The Dalek Generation e Shroud Of Sorrow. A Clara só é companion neste último. Inclusive, é o único livro da Clara com o 11th (com o 12th ela participa de vários).

E como um livro lançado no jubileu, escrito por um whovian doente, são várias pequenas referências a toda a história da série – o Capítulo 14, então, é pra ler com o youtube ligado só pra ficar revendo as referências ali descritas – e, óbvio, a caixa de lenços do lado porque você vai chorar muuuuuito.

Mas vamos à história: o sensor de treta da TARDIS leva o Doutor para Dallas, no dia seguinte ao assassinato do Presidente Kennedy. E o luto é o alimento principal das Mortalhas, que começam a aparecer às pessoas se passando por seus entes queridos já falecidos – quanto mais dor e lamentação, mais fortes as Mortalhas ficam.

Com a TARDIS escondida pra não cair em mãos erradas, nosso querido Doc arruma dois meios de transportes inusitados: uma ambulância e um carro de palhaços, liderado pelo palhaço Bundamole (o autor, Tommy Donbavand foi palhaço na juventude, com esse nome – e sim, eu também me colocaria em cena se escrevesse um livro de Doctor Who).

Falando no autor, ele soube muito bem transpor pro papel todos aqueles trejeitos do Matt, mesmo já sendo uma época onde ele está mais contido e mais sério do que com os Ponds – inclusive, é a minha fase predileta do Matt como Doctor, mas isso é discussão pra outro momento.

Mortalha Da Lamentação deve ser o livro de DW mais famoso aqui no Brasil. Mas não é um livro para não iniciados, como Shada ou Cidade Morte, por conta das inúmeras referências à série clássica que não é a era RTD como alguns pensam.

Aliás, foi justamente por causa do Capítulo 14 que eu comecei a assistir pra valer a série clássica! Quando eu comecei a ver DW na Netflix, a s9 tinha acabado de começar. Então eu assisti da s1 à s8 pela Netflix e já peguei a s9 no episódio 4. Foi quando eu descobri o universo expandido e comprei os meus primeiros livros.

Na verdade, o primeiro episódio de série clássica que eu vi foi The Trial Of A Time Lord (6th Doctor), por causa das menções ao Jardim do Vale Valleyard. E depois, por causa desse livro, eu comecei a procurar pelas pessoas ali mencionadas. Fica a dica dos episódios para assistir antes ou depois de ler o livro e criar vergonha nessa cara pra assistir série clássica:

– The Dalek Invasion Of Earth;
– The War Games;
– The Green Death;
– The Hand Of Fear;
– Earthshock;
– Mindwarp;
– Dragonfire;
– Doctor Who – O Filme.

Como eu disse lá em cima, esse livro faz parte de uma trilogia lançada pra comemoração dos 50 anos. Duvido muito que os outros dois saiam por aqui, especialmente depois de tanto tempo da saída do 11th… Mas a gente sempre pode voltar com a campanha #QueremosLivrosDeDoctorWhoNoBrasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s